Os adoçantes (edulcorantes artificiais) surgiram como uma alternativa ao açúcar, principalmente às pessoas diabéticas, para adoçarem sucos e bebidas. Porém, esta escolha não é tão saudável quanto parece, pois nos leva a cometer erros de graves consequências à saúde.

Apesar de não conterem calorias, os edulcorantes artificiais, como aspartame, neotame, ciclamato de sódio, sucralose, sacarina e acessulfame de potássio, ou acessulfame k, que são obtidos através de processos industriais, químicos e físicos específicos, são extremamente doces. Dessa forma, quando algo doce é ingerido, nossas papilas gustativas, presentes na língua, estimulam a liberação do hormônio insulina pelo pâncreas (porque o corpo entende que estamos ingerindo grandes quantidades de açúcares, devido ao sabor adocicado). Assim, causamos uma impressão errada ao nosso organismo, que trabalha exaustivamente para produzir insulina desnecessariamente.

Quando a insulina é produzida pelo pâncreas, ela é liberada na corrente sanguínea para realizar sua principal função: captar o excesso de açúcar (glicose) do sangue e armazenar este excesso no fígado, por exemplo. Entretanto, como os edulcorantes artificiais não são degradados em glicose, teoricamente, a insulina não armazenaria nada no fígado e assim este órgão não ficaria sobrecarregado. O que ocorre, é que tais adoçantes são utilizados junto a uma refeição, que normalmente contem carboidratos. Estes nutrientes são degradados em glicose e junto com níveis elevados de insulina gerados pelos edulcorantes artificiais, o fígado sofreria sobrecarga de estoque de glicose. Nessa situação, o fígado passa a converter o excesso de glicose armazenada em gordura corporal. Isso mesmo: você começa a engordar mesmo usando produtos sem calorias!

Assim, apesar de não conterem calorias, os edulcorantes artificiais podem levar ao aumento do tecido adiposo (tecido de gordura) corporal, dificultando a perda de peso, além de aumentar as chances para o câncer e a Diabetes, por causarem resistência à insulina, conforme mostram várias pesquisas recentes. Por isso, a escolha do adoçante é fundamental para quem busca não só a perda de peso como também a prevenção de doenças e a melhoria da qualidade de vida.

Você pode até não utilizar adoçantes artificiais de forma direta, mas, se costuma optar por produtos diet, light ou zero, porque se preocupa com as calorias dos produtos, você pode estar ingerindo estes adoçantes da mesma forma. Isso ocorre porque a indústria alimentar utiliza deste artifício para realçar o sabor doce dos alimentos e, além disso, reduzir as calorias dos produtos. Por isso, muito cuidado: às vezes você está deixando de consumir o próprio açúcar (que é claro, devemos ter cuidado), para ingerir algo duas vezes pior à sua saúde. Digo que é duas vezes pior porque os edulcorantes artificiais estimulam duas vezes mais insulina que o próprio açúcar!

O que então utilizar para adoçar sem que haja grandes estímulos de insulina? As melhores opções para adoçar são alguns adoçantes naturais como, por exemplo, a Stévia e o Xilitol. A Stévia é uma planta medicinal, que se assemelha a uma erva, e podemos encontrá-la na forma de pó ou líquida em supermercados e lojas de produtos naturais. O Xilitol, que naturalmente é encontrado em frutas, como uva e morango, e em alguns vegetais, pode ser encontrado em supermercados e lojas de produtos naturais na forma de pó (bem clarinho, parecido com o açúcar). Outra opção é o Agave, planta mexicana parecida com o cacto, que produz um néctar e que também pode adoçar nossas bebidas e preparações, mas, diferentemente da Stévia e do Xilitol, deve ser utilizado em quantidades moderadas.

Assim, buscando alternativas mais saudáveis, contribuímos com o equilíbrio de nosso organismo por meio do equilíbrio de nossos hormônios como, por exemplo, a insulina. Busque o acompanhamento de um profissional nutricionista para aprender a reeducar sua alimentação e, de quebra, aprender dicas de uma boa interpretação de rótulos alimentares para saber de fato o que está consumindo e não ser enganado. Conte com a equipe da Zone Diet Brasil para isso!

Artigos similares

0 202

Sem comentários

Deixar uma resposta